Mostrando 2317 resultados

Registro de autoridade

Bodmer

Boehmer

Candida

CAPES

Carmen Carneiro

  • SPCLEARQ NCAC DP DCC
  • Pessoa

Carmen Carneiro é tia de Newton Carneiro Affonso da Costa. Trata-se de 82 cartas e 2 cartões de natal trocados entre ela e o sobrinho os anos de 1965 a 2002. Foram quase quatro décadas de intenso contato, sempre marcado por carinho e atenção especiais. As histórias retratadas pelas cartas trocadas entre a tia e o sobrinho nos envolvem em um ambiente familiar e no cotidiano da trajetória intelectual de um dos maiores lógico-filosofo da história contemporânea. Em várias de suas missivas encontramos menções a pensadores, filósofos, poetas clássicos e contemporâneos tais como: Shakespeare, Castro Alves, Casimiro de Abreu, entre outros. No decorrer dos anos de correspondência contínua pode-se também, recordar através dos comentários da tia Carmen, fatos históricos marcantes como a Ditadura Militar, a Copa Mundial de Futebol de 1982, na Espanha, a inflação brasileira durante o governo Sarney, o Plano Cruzado, enfim, muitos acontecimentos são comentados a partir da visão da escritora paranaense. Essa correspondência relata as dificuldades enfrentadas por Newton no percurso de sua trajetória acadêmica e intelectual, as constantes contestações acerca de seu trabalho, as diversas viagens às Universidades do Brasil, das Américas, Europa e Australasia, nas quais muitas vezes enfrentava uma carga horária intensa de seminários e palestras em sua luta para defender as teorias nas quais acreditava resolutamente. Muitos dos esboços dos poemas publicados por Carmen Carneiro estão registrados nas cartas enviadas para Newton da Costa, nas quais ela pedia sua apreciação ou sugestões. Compõem esse Dossiê seus livros de poesia: Poemas Escolhidos, Luz e Sombras e Plenitude. Há também o livro de Herbert Munhoz Van Erven: A poesia essencialista de Carmen Carneiro e, por fim, um cartão trocado entre os primos Carmen e ? [Marina].

César Lattes

  • CL
  • Pessoa
  • 1924-2005

Cesare Mansueto Giulio Lattes nasceu em Curitiba, em 11 de julho de 1924. Em 1943 recebeu os diplomas de bacharel em Matemática e Física pela Faculdade de Filosofia e Ciências e Letras da USP. Foi lá que iniciou sua carreira científica, no então Departamento de Física, ao publicar um trabalho científico sobre a abundância de núcleos no Universo, em parceria com Gleb Wataghin. Cesar Lattes tornou-se mundialmente conhecido em 1947, quando descobriu a partícula méson-pi em colaboração com Giuseppe Occhialini e Cecil Powell. Na época, Lattes trabalhava no laboratório H.H. Wills da Universidade de Bristol, dirigido por Powell, onde melhorou a técnica de emulsão nuclear em chapas fotográficas desenvolvida pelo próprio Powell. Depois viajou para o Monte Chacaltaya, Bolívia, a 5200m de altura, onde expôs as chapas fotográficas aos raios cósmicos e descobriu o méson-pi, cuja existência foi prevista teoricamente em 1935, por Hideki Yukawa. Estes resultados foram publicados na revista Nature, em 24 de maio de 1947, sob o título "Processes involving charged mesons". Nessa época Lattes tinha apenas 22 anos. No ano seguinte fez outra importante contribuição à Ciência. Em colaboração com Eugene Gardner, Lattes obteve artificialmente a partícula méson-pi no recém-construído sincro-cíclotron da Universidade da Califórnia, em Berkeley. Lattes quase foi contemplado com o Prêmio Nobel de Física. Retornando ao Brasil em 1949, teve importante papel na catalisação dos esforços que levaram finalmente à criação do Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) - atual Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - em 1951.Diretor Científico do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas desde a fundação, em 1949, e principal consultor científico nos primeiros anos do Laboratório de Chacaltaya, cria, na USP em 1957, um laboratório para estudos de interações a altas energias na radiação cósmica. A partir de 1962, lidera a reunião de grupos brasileiros e japoneses num projeto de longo alcance sobre interações a altas energias na radiação cósmica.
Em 1967, Lattes assume o cargo de professor titular no recém-fundado Instituto de Física Gleb Wataghin da Unicamp, tornando-se o primeiro diretor do Departamento de Raios Cósmicos, Cronologia, Altas Energias e Léptons. Em 1969, ele e seu grupo descobriram a massa das denominadas bolas de fogo (fireball). Em 1986, aposentou-se da Unicamp, recebendo, no mesmo ano, o título de Doutor Honoris Causa e de Professor Emérito da universidade. Cesar Lattes faleceu em Campinas, no dia 8 de março de 2005.

Climar

Resultados 91 até 120 de 2317